sábado, 17 de setembro de 2011

No bairro

De manhã, cedo, compro o pão e os legumes lá em cima, no mercado biológico.
As ruas do fim-de-semana são calmas: é o último sábado do verão, e está calor; o sol ilumina as fachadas dos prédios familiares, a ponte estende-se por detrás dos telhados a perder de vista, e o universo parece, nem que seja por um único minuto, em harmonia.





segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Abdullah Ibrahim na Culturgest



"Born in Cape Town in 1934, Abdullah Ibrahim began his musical career in a vocal group at the age of 15, later moving to Europe, where he played piano under the name Dollar Brand. His international career was launched by Duke Ellington, who heard him play in a Zurich club. After converting to Islam in 1968, Brand changed his name to Abdullah Ibrahim. A prolific recorder of albums, he either plays alone or backed by bands and orchestras, and is considered one of the leading figures in contemporary jazz. The almost mystical lyricism of his music is a blend of American jazz and his African roots". via Culturgest
Sábado, 17 de Setembro às 21h30 no Grande Auditório

sábado, 10 de setembro de 2011

Rua do Século





Clin d'oeil ao blog Ruas de Lisboa com Alguma História.
Rua com muita história que atravessa duas freguesias, Mercês e Santa Catarina, como explica APS no Ruas de Lisboa com alguma História.
Naquele Largo florido, (Chafariz da Rua do Século, acabo de o saber ao fim de tantos anos, graças ao APS), fizeram-se, em tempos, as Manobras de Maio.
O Convento dos Cardaes, fundado por D. Luísa de Távora, é considerado um dos mais belos exemplares artísticos do século XVII e situa-se no troço superior da rua.
Se escutarmos com atenção, e as janelas estiverem abertas e os ventos de feição, pode ouvir-se música vinda do Conservatório ou, um pouco mais à frente, da Escola Superior de Dança, cuja entrada se encontra ao virar da esquina, na Rua da Academia das Ciências.
E pelo menos um grande jornal terá tido aqui a sua sede (o Século).
Também o Ministério do Ambiente escolheu esta rua de Lisboa para sua sede.
Já próximo da Calçada do Combro, encontram-se a TomTom shop, onde meio mundo terá desencantado a prenda certa pelo menos uma vez na vida, a livraria Alêtheia, para se marcar encontro com os livros, e a Galeria Novo Século de que já aqui falámos nos primórdios deste site.
De uma ponta à outra da rua, encontram-se ainda pastelarias, restaurantes, cafés, mercearias (uma, pelo menos) e várias lojas .